Um veículo capaz de percorrer a nada modesta distância de até 400 quilômetros com apenas 1 litro de etanol será uma das estrelas da Feira Internacional de Tecnologia Sucroenergética (Fenasucro), evento que será realizado entre os dias 23 e 26 deste mês em Sertãozinho (SP). Em desenvolvimento desde 2009, o protótipo, feito para uma pessoa, possui carcaça de 2 metros de largura em fibra de carbono.

Batizado de Popygua, o automotor criado por pesquisadores da Universidade Tecnológica Federal do Paraná (UTFPR) foi testado nos EUA em 2015, quando, à velocidade constante de 30 km/h, a autonomia chegou a 316 km com somente 1 litro do combustível à base de cana-de-açúcar.

“Era uma competição em que você dá 10 voltas na pista, deve dar uns 20 quilômetros, medem quanto de combustível tinha antes, medem quanto sobrou e dividem pelo consumo em milímetros e fazem a quilometragem por litro”, explica Bruno Medeiros, professor de mecânica da UTFPR.

O protótipo está em desenvolvimento desde 2009
O protótipo está em desenvolvimento desde 2009

A tecnologia

Dentre as tecnologias que fazem do Popygua um dos modelos de carro reduzido mais eficientes da atualidade estão o design, que gera a redução do atrito entre o carro, ar e solo, sua aerodinâmica e também os materiais usados, que deixam o veículo leve.

“O segredo também é pegar pista sem trânsito, parar a tantos quilômetros para calibrar o pneu e ter poucas pessoas dentro do carro, tudo isso influencia”, diz Medeiros. Segundo ele, há um caminho longo a ser percorrido para que um modelo inspirado no protótipo possa chegar à indústria automobilística.

Atrito reduzido com o ar  e o uso de materiais leves são alguns dos "segredos" para a eficiência do carro
Atrito reduzido com o ar  e o uso de materiais leves são alguns dos “segredos” para a eficiência do carro

O grande desafio é conciliar tecnologias eficientes e sustentáveis às exigências dos consumidores, que têm dirigido cada vez mais rápido, gerando o aumento no limite de velocidade e também do consumo.

 

 

Fonte: TecMundo

Deixe uma resposta